/pravoce /música

Fogo dos Ancestres

Álbum

Letra

Com cassuá desavisado
Tu cassuou de longe ouvi
Um “catabum”
Diz onde ir
O chão rachou de onde eu vim

Nada se sabe
Dos abismos abissais do coração
Das linhas de uma mão E.T.

OVNI malê do som
OVNI malê do som
OVNI malê do som
OVNI malê

O pessoal siza, sisal
Mundo de hoje
Ontem houve
Gatos do mato atrás de iscar um
Um homem do espaço
Olho comum
O Tupã-mirim
Apontar, mirar
Fogo dos ancestres
Que vieram dar, deixar
Ser feliz e fim
A dança dirá

Fogo dos ancestres
Que vieram dar, deixar

Zumbi, Zumbi, Zumbi

“Catirim tava sentado
Na beira do Rio Açu
Com a calça de sola
Camisa de couro cru
Mas eu não canto
Com nego desconhecido
Pode ser um nego escravo
Que anda por aqui fugido, ê, ê, ê”

O pessoal siza, sisal
Mundo de hoje
Ontem houve
Gatos do mato atrás de iscar um
Um homem do espaço
Olho comum
O Tupã-mirim
Apontar, mirar
Fogo dos ancestres
Que vieram dar, deixar
Ser feliz e fim
A dança dirá

Fogo dos ancestres
Que vieram dar, deixar

Por sinhazinha
Da cadeira de arruá
Tô foragida
Da fazenda Rã-Preá
Ide castigo
Levo para adormecer
No chão comigo
A beleza da beleza docê

Zumbi, Zumbi, Zumbi

Nada se sabe
Dos abismos abissais do coração
Das linhas de uma mão E.T.

OVNI malê do som
OVNI malê do som
OVNI malê do som
OVNI malê

Virgulino na batucada